Poesia da emoção

De todas as poesias que eu não escreví
Existe uma que eu mais queria ter escrito
Esta, a sem metáfora alguma
A que anda sem rima pelo labirinto do meu peito
A irmã mais velha das línguas
Que veio de brinde com os corações das mulheres e dos homens
E dos bichos, e das plantas, das inúmeras flores e do mar

Essa que faz soar mais alto, mais forte e mais belo
Tudo que pode soar alto e forte e belo
A que foge escondida das escolas e rasga os livros de ortografia
E que não tem decote em que não esteja

A que nos representava antes da democracia
E que nos casava antes da religião
Essa, sim, essa!
A que torna engano cada palavra
E enganosa cada canção

Pois a palavra não é nada!
E entender as coisas sem os nomes das coisas
É chupar o verdadeiro sentido da vida

Me perdoem os filósofos
Um tempo atrás eu era como vocês
Um homem de sábias palavras

Hoje eu apenas me sento sozinho
Olho as estrelas e penso sobre minha poesia não escrita:
Extinto esse mundo, que outros mundos ela deverá criar?
E extinta essa raça? E extinta essa língua?
As horas passam e eu não a escrevo

Eis que é esta
A inescrevível poesia da emoção

Anúncios

4 thoughts on “Poesia da emoção

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s