29 de janeiro

O pouco que sei sobre o amor não dá um verso
Mas transborda o meu coração
O pouco que sei sobre ela é quase nada
Diante da vontade de saber mais

Se eu gastar meio século conhecendo-a
Será um meio século bem gasto
Se eu contemplar meio segundo seus olhos
Viverei neste meio segundo o dobro das minhas primaveras

Ate agora temos nos limitado às palavras
Isso é pouco e eu preciso de mais
Mulher, eu vou ao teu encontro
E não deixo que entre nos existam nem telas, nem véus, nem cidades

Oponho-me a qualquer ideia que me afaste de você
E não me coloco diante de você de outra forma, senão inteiro
E não a aceito de outra forma, senão inteira
Quero com isso que você saiba quem eu sou
Para que eu saiba quem você é

Eu sei que existem certas coisas que só o tempo desenvolve
Acho isso muito bom e não tenho pressa
Mas não espero assim adiar o que já foi adiado
Se eu puder vê-la hoje, é hoje que eu quero vê-la
E se você puder estar comigo hoje, por que não estaria?

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s